fbpx

O que é a proteína A2 e quais os seus benefícios?

A beta-caseína A2 é uma proteína encontrada no leite de búfala, que facilita a digestão do leite e seus derivados por parte dos humanos.

Originalmente todas as fêmeas mamíferas produziam apenas a beta-caseína A2, mas, por uma mutação genética que ocorreu há aproximadamente 10 mil anos, algumas vacas passaram a produzir a beta-caseína A1. A única mamífera que não sofreu a mutação foi a búfala. Por isto, a beta-caseína A2 é chamada de caseína natural.

Nos demais mamíferos existem três genótipos possíveis: A1A1, A1A2 e A2A2, resultantes da genética dos animais, entretanto nas búfalas só é possível o genótipo A2A2, por não existir a proteína A1 em seus genes.

foto do controle de qualidade no processo de produção leite de bufala

Mas o que isso interfere no meu dia a dia?

O leite 100% de búfala e seus derivados só têm a beta-caseína A2. Ela facilita a digestão e não provoca os desconfortos intestinais, como inflamação do intestino, dores abdominais e distensão abdominal, que normalmente são causados pela beta-caseína A1. A quebra da beta-caseína A1 também causa a alergia em algumas pessoas.

Tecnicamente falando, a presença do aminoácido prolina, em vez de histidina, na variante A2, evita a hidrólise da ligação peptídica entre os resíduos 66 e 67 na beta-caseína A2, inibindo assim a liberação da beta-casomorfina 7 (BCM-7).

Traduzimos o que isso quer dizer no esquema abaixo:

esquema que mostra o processo de quebra da proteína a1 contida no leite de vaca e que gera desconforto abdominal

Leite de búfala e seus derivados são saúde e bem-estar!

ilustração de búfala da logo da Bom Destino

12 Comentários. Deixe novo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

A beta-caseína A2 é uma proteína encontrada no leite de búfala, que facilita a digestão do leite e seus derivados por parte dos humanos.

Originalmente todas as fêmeas mamíferas produziam apenas a beta-caseína A2, mas, por uma mutação genética que ocorreu há aproximadamente 10 mil anos, algumas vacas passaram a produzir a beta-caseína A1. A única mamífera que não sofreu a mutação foi a búfala. Por isto, a beta-caseína A2 é chamada de caseína natural.

Nos demais mamíferos existem três genótipos possíveis: A1A1, A1A2 e A2A2, resultantes da genética dos animais, entretanto nas búfalas só é possível o genótipo A2A2, por não existir a proteína A1 em seus genes.

foto do controle de qualidade no processo de produção leite de bufala

Mas o que isso interfere no meu dia a dia?

O leite 100% de búfala e seus derivados só têm a beta-caseína A2. Ela facilita a digestão e não provoca os desconfortos intestinais, como inflamação do intestino, dores abdominais e distensão abdominal, que normalmente são causados pela beta-caseína A1. A quebra da beta-caseína A1 também causa a alergia em algumas pessoas.

Tecnicamente falando, a presença do aminoácido prolina, em vez de histidina, na variante A2, evita a hidrólise da ligação peptídica entre os resíduos 66 e 67 na beta-caseína A2, inibindo assim a liberação da beta-casomorfina 7 (BCM-7).

Traduzimos o que isso quer dizer no esquema abaixo:

esquema que mostra o processo de quebra da proteína a1 contida no leite de vaca e que gera desconforto abdominal

Leite de búfala e seus derivados são saúde e bem-estar!

ilustração de búfala da logo da Bom Destino

12 Comentários. Deixe novo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.